Pauta Jazz 2017 Águeda

Festival Pauta Jazz regressa à cidade de Águeda.

Com o objectivo de promover cada vez mais bons momentos performativos, o festival  centra-se na divulgação do jazz e da música improvisada. Em 2017 o Pauta Jazz apresenta dois concertos em diferentes espaços, criando diferentes contextos para a cultura deste género de música e  junta-se às comemorações do Dia Internacional do Jazz criado pela UNESCO.
Na terceira edição, o festival apresenta no primeiro concerto um impressionante trio com o pianista cubano Victor Zamora, o contrabaixista Carlos Barretto e o baterista de origem brasileira Alexandre Frazão. O segundo concerto contará com a cantora e flautista Luísa Vieira, o guitarrista Mauro Ribeiro, o contrabaixista Miguel Calhaz e o baterista Miguel Sampaio.
O festival Pauta Jazz junta-se às comemoração internacionais, que têm como objectivo relembrar a importância deste género musical e o seu contributo na promoção de diferentes culturas e povos ao longo da História.

Concertos

Victor Zamora piano
Carlos Barretto contrabaixo
Alexandre Frazão bateria
Hora: 21.45
Local: Cine-Teatro S. Pedro

Luísa Vieira voz e flauta transversal
Mauro Ribeiro guitarra 
Miguel Calhaz contrabaixo
Miguel Sampaio bateria
+ Jam Session
Hora: 24:00
Local: Pompéia Caffé

 

Concerto 1

Sobre Victor Zamora
Nasceu em Cuba , Sta. Clara.
Em 1989 iniciou os estudos musicais no piano na guitarra clássica na escola profissional de instrutores arte EPIA Escola de Artes de Santa Clara em Cuba, e começou a trabalhar em Varadero (Cuba) , com vários projectos de Jazz e Música Cubana, onde participou em alguns festivais de Jazz, como o Havana Jazz Plazza (1999). A residir em Portugal desde 1999, estabelece cantacta com musicos que reconhecem o seu talento para a mescla de sons existente na sua forma de se expressar ao piano.
Actuou um pouco por todo o Mundo, levando o Jazz Latino a grandes salas de espectáculo, não só com os seus projectos com band leader, como em diversos concertos como músico convidado de  reconhecidos nomes como: Ivan Lins, Paulo de Carvalho, Dulce Pontes, Nelson Cascais, Ricardo Toscano, João Moreira, Jacinta , Paula Oliveira, Maria João, Maria An adon, Paulo Frores, Mafalda Sacchetti, Philip Hammilton, Danielle Mille, Ruben Dantas, Tierry Elias, Cármen Souza entre outros.Ao longo deste ano o pianista estará entre outros locais, no Centro Cultural Pedro Remy, no Palácio Vila Flor, Festival Jazz Luanda, Festival Jazz no Valado XIII ,Macao Jazz, Jazz Minde, Funchal Jazz, Havana Jazz Plaza. Discografia, Paulo de Carvalho, Cármen Souza, trabalho de vídeo com Maria Anadon Latin Jazz Quartet.

Sobre Carlos BarrettoFullSizeRender_1
Quando se fala de jazz em Portugal, o nome de Carlos
Barretto (CB) é uma referência de mérito
incontornável.  A crescente internacionalização da sua actividade artística tem levado a sua música a muitos destinos, tanto na Europa como no resto do mundo, sempre com rasgados elogios por parte da crítica especializada.
Após concluir o curso do Conservatório Nacional de Música de Lisboa, CB residiu em Viena de Áustria (1980-1982) a fim de se especializar na música erudita, estudando com Ludwig Streischer, um dos grandes mestres mundiais do contrabaixo.
Decide então dedicar a sua carreira profissional à música improvisada, residindo em Paris (1984-1993), cidade a partir da qual teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes do jazz, actuando nos mais prestigiados festivais por toda a França, Alemanha, Suiça, Bélgica e Holanda, entre outros.
De regresso a Portugal em 1993, iniciou os seus projectos como líder e compositor, tendo gravado 9 cd’s em nome próprio e colaborado em mais de vinte obras de músicos como Bernardo Sassetti, Carlos Martins, Bob Sands, Georges Cables, Mário Delgado (v. colaborações). Nas suas actuações, é notória a evolução estética da sua música, desde o neo-bop até ao jazz europeu contemporâneo.
Actualmente trabalha em vários projectos: Carlos Barretto Lokomotiv (com Mário Delgado e José Salgueiro), LST (Lisboa String trio), Guitolão (com António Eustáquio), Carlos Martins quarteto, Carlos Barretto Solo pictórico e “N o precipício era o verbo” projecto multidisciplinar que une a poesia com a música, contando com os diseurs André Gago, António de Castro Caeiro e José Anjos.
Trabalhou com: Lee Konitz, Steve Grossman, Gary Bartz, Steve Lacy, Steve Potts, Brad Mehldau, Tony  Scott, Glenn Ferris, John Stubblefield, Art Farmer, Jack Walrath, Louis Sclavis, François Corneloup, Perico Sambeat, Roman Filliu, Gilad Atzmon, Carlos Bechegas, Rodrigo Amado, Marlon Jordan, Gerard Presencer, François Théberge, Bob Sands, Jorge Pardo, Andrej Olejnizack, João Moreira, Carlos Martins, Alípio Neto, Carlos Zíngaro, Mal Waldron, Horace Parlan, Georges Cables, Kirk Lightsey, Alain Jean-Marie, Bernardo Sassetti, Richard Galliano, Mariano Diaz, Fabio Mianno, Abe Rabade, German Kucich, Horácio Icasto, Júlio Resende, Mário Laginha, Barry Altschul, George Brown, Cindy Blackman, Joe Chambers, Jordi Rossy, Aldo Romano, Don Moye, Carlos Carli, Marc Miralta, Daniel Garcia, Guillermo Mcguill, Mário Barreiros, Markku Ounaskari, Ethan Winogrand, Juan Mas Barroso, Joel Silva, Karl Berger, John Betsch, en tre outros. Actuou em Portugal, Espanha, França, Itália, Suiça, Grécia, Roménia, Moldávia, Inglaterra, Alemanha, Bélgica, Holanda, Áustria, Hungria, Andorra, Luxemburgo, Finlândia, Polónia, República Checa, Eslovénia, Estónia, Marrocos, Tunísia, Senegal, Cabo Verde, Angola, Venezuela, Argentina, China e Macau.

 

Sobre Alexandre Frazão  
Alexandre Frazão é natural de Niteroi, no Rio de Janeiro Brasil, FullSizeRender_2mas veio para Portugal com 19 anos, onde se radicou desde 1987. Ainda no Brasil estudou no Conservatório em 1984. Frazão estudou ainda com Alan Dawson, Kenny Washington e Max Roach. Em Portugal dedicou princip al mente ao jazz e à música improvisada, tendo colaborado, entre outros com Maria João (cantora) e Mário Laginha, Bernardo Sassetti, Carlos Martins, Laurent Filipe, Rodrigo Gonçalves, Carlos Barretto, Ficções, Dave O’Higgins, Perico Sambeat, Jon Freeman, Mark Turner.  Pela sua versatilidade, é frequentemente solicitado para gravar com músicos de outros idiomas musicais, tendo trabalhado, por exemplo, com Resistência (banda), Pedro Abrunhosa, Rui Veloso, Ala dos Namorados, Nuno Rebelo, Rão Kyao, Júlio Pereira, Joel Xavier e Tim Tim por Tim Tum com Jim Black.
Tendo participado em muitos discos de outros artistas são, no entanto, importantes marcos da sua carreira os discos “Nocturno” de Bernardo Sassetti, “Filactera” de Mário Delgado, “Undercovers” de Maria João (cantora) e Mário Laginha, “Tempo” de Pedro Abrunhosa, e os DVDs de Rui Veloso, “O Concerto Acústico”, e Ala dos Namorados, “Ao Vivo no S. Luiz”.
Com Mário Delgado e Sérgio Carolino fundou o Trio TGB (Tuba, Guitarra, Bateria) em 2002, que gravou o disco com o mesmo nome.
Com os vários grupos que integrou ou integra, tem feito vários concertos em portugal e no estrangeiro, em França, Alemanha, Espanha, Brasil, China, Bélgica, Dinamarca e participado em inumeros festivais, dos quais se destacam, por exemplo, Jazz em Agosto, Festival Europeu do Porto, Jazz em Serralves e Festival Internacional de Macau.
 

Concerto 2

 

Luísa Vieira
Concluiu dois cursos na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto: flauta transversal e canto jazz (Fay Claassen). Completou dois níveis do curso de voz “Estill Voice Training System” (EVTS). Obtém uma bolsa de estudos da Berklee College of Music em Boston. Durante um ano estudou com músicos notáveis, entre os quais Hal Crook, Tomassi, Dominique Eade, Mitch Haupers e Rhiannon.
Está envolvida em vários projectos: “Threedom”, “Abrilux”, “Inuk Trio”, “Quinteto Luísa Vieira”, “Duo 2/4″, “Orquestra Aeminium” e, na ACERT: “A Cor da Língua”, “20 DIZER” e música de cena. Actuou em festivais de jazz, teatro e música do mundo como o “International Folk Music Festival” em Boston, Aarhus Vocal Festival, Festival Internacional Echternach (Luxemburgo), Tom de Festa ACERT, Festival Porta-Jazz, Festival de Teatro D’Agosto e 5º Festival Marrabenta (Moçambique), entre outros.
Actualmente é professora de flauta e canto de jazz do curso profissional de jazz no Conservatório de Música de Coimbra.

 

Mauro Ribeiro
Guitarrista natural de Condeixa-a-Nova, iniciou os seus estudos de música aos 8 anos. Aos 11 ingressa no Conservatório de Música de Coimbra para estudar música clássica. O gosto pelo jazz surge aos 17 anos que o levou a estudar no Sítio de Sons com Jeffery Davis e Serafim Lopes, seguindo mais tarde para o Hot Clube de Portugal. Leccionou na Associação Sítio de Sons – Coimbra – no Curso Livre e no Curso de Jazz de 2005 a 2012. É licenciado em Guitarra Jazz pela Universidade de Évora e atualmente frequenta o Mestrado em Ensino na Universidade de Aveiro. Leciona Guitarra, Secção Rítmica e Técnicas de Improvisação no Curso Profissional de Jazz no Conservatório de Música de Coimbra desde 2013.
Está envolvido em várias bandas como The Casino Royal, Threedom, Cooletivo 68 e Black Tie.

Miguel Calhaz
Miguel Calhaz nasceu na Sertã em 1973.
Músico freelancer, cantautor e contrabaixista, mantém projectos musicais nas áreas do Jazz,  World Music e Música Portuguesa.
Vencedor do Prémio José Afonso (tema original) no 3º Festival Cantar Abril que se realizou no Teatro Municipal de Almada, dia 30 de Abril de 2011, com o tema “Estas Palavras”.
Lançou em nome próprio o seu álbum de estreia “Estas Palavras” (Disco Antena1) em 2012.
Vencedor do Prémio Ary dos Santos (melhor letra) no 4º e 5º Festival Cantar Abril de 2013 e 2015 com os temas “Era uma vez um País” e “Sou do contra! Abaixo!”
Autor do tema “Ponte Romana”, que obteve o 1º lugar na categoria Música na 1ªedição do concurso “conte connosco Santander-totta)” com o grupo Trilhos.
Licenciado em Educação Musical pela Escola Superior de Educação do
Instituto Politécnico da Guarda. (2000)
Licenciado em Contrabaixo/Jazz da Escola Superior de Música e das
Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto. (2012)

Miguel Sampaio
Nascido no Porto a 1987, Miguel Sampaio é Baterista. Estando prestes a concluir o curso de Jazz e Música Moderna na prestigiada Escola Superior de Música, Artes e Espectáculos do Porto (ESMAE) onde estudou, entre muitos, com Michael Lauren, Nuno Ferreira, Abe Rabade e Carlos Azevedo. Estuda com o reconhecido professor de Bateria Michael Lauren há aproximadamente 6 anos e esteve presente em Masterclasses com Steve Gadd, Gerald Cleaver, Bruno Pedroso, Alexandre Frazão, Ben Street, Andrew D’Angelo, entre outros. Fazendo uma retrospectiva, inicia o seu percurso musical aos 8 anos em Ovar, onde teve aulas de Guitarra Clássica. Miguel Sampaio participa regularmente nas actividades artístico/criativas de uma nova geração de ambiciosos músicos na Cena de Jazz do Porto, entre eles: Luís Castro, Ricardo Moreira, Carlos Garrote, Rogério Francisco, Diego Alonso, Artur Castro, António Pedro (AP), Diogo Dinis e em diversas formações diferentes. Conta já com actuações com os experientes Mário Laginha, Maria João, Carlos Azevedo, Marta Hugon e Luísa Sobral, em conjunto com a recente Big Band “Estarrejazz”. Não ficando por aqui, participa já em dois discos gravados intitulados de “Zero Point Energy” e “Zinc Tank” ao lado de Gio Yañes – ascendente Músico na cena do Jazz Espanhol e outro mais com o Trio de jazz – “Trinó”, disco gravado ao vivo na associação Porta-Jazz.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.